Gases e diarreia podem ser sinais de intolerância alimentar.

                    Doença celíaca e intolerância à lactose são os problemas mais comuns. Conheça também a língua geográfica, uma condição curiosa, mas benigna.
Todo alimento industrializado deve trazer no rótulo a informação de que ele contém ou não glúten. A lei de 2003 foi feita para proteger os portadores da doença celíaca, um dos tipos mais comuns de intolerância alimentar. O Bem Estar desta terça-feira (7) explicou o que são as intolerâncias e alergias a alimentos específicos. O programa teve a participação da pediatra Ana Escobar e o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui.
Como o quadro acima mostra, a intolerância normalmente é em relação a um alimento específico. No caso, explicamos a doença celíaca e a intolerância à lactose, problemas comuns que afetam milhões de pessoas em todo o mundo.
Os principais sintomas das intolerâncias alimentares são diarreia e gases. No caso da doença celíaca, outros aspectos também podem ser observados, como vômito, perda de peso e sinais de desnutrição.
A doença celíaca só pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue, pois os sintomas são muito variados e constantemente associados com outras. Normalmente se manifesta em crianças com até um ano de idade, quando são introduzidos os alimentos que contém glúten.
A demora no diagnóstico leva a deficiências no desenvolvimento da criança. Em alguns casos, a doença pode se manifestar somente na idade adulta. O principal tratamento é cortar o glúten da dieta completamente, já que a doença celíaca não tem cura.
Outra reação adversa comum em alimentos são as alergias – como aos frutos do mar, por exemplo. É uma resposta exagerada do sistema de defesa do corpo a alguma substância presente naquele alimento, que acontece no máximo duas horas depois da ingestão. Provoca vermelhidão e coceira intensa na pele, dor de barriga, vômito e diarreia e tosse e falta de ar, com um inchaço na garganta conhecido como edema de glote.
Língua geográfica A língua é quem sente o gosto dos alimentos e os empurra para dentro, então é uma parte importante da digestão. Quem tem intolerância a algum alimento, por exemplo, pode detectar pelo sabor se a comida tem algo que ele não pode ingerir. Quando a língua é flácida ou grande demais, pode prejudicar não só a deglutição, como também a fala e até o sono – contribuindo para a apneia. Existe ainda outra condição rara, a língua geográfica, que recebe esse nome porque tem o desenho semelhante a um mapa de rios, por exemplo. Não é uma doença nem acarreta nenhum problema grave – pode apenas causar maior sensibilidade a alimentos condimentados ou muito ácidos, como as frutas cítricas.
Fonte: G1

http://consulfarma.com/detalhes_noticias.php?id=135450

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: